quinta-feira, 28 de abril de 2011

Concorrentes ao sorteio dos livros da Promoção Somos Tod@s Poetas por vir

Eis a lista com os concorrentes ao sorteio dos livros:

Postagens:

NOME

01a

Lorenna Noleto

02a

Iúna Gabriela

03a

Pedro Modesto

04a

Vanessa Feitosa

05a

Iúna Gabriela

06a

Isaac Aguiar

07a

José Reis

08a

Mirna Waquim

09a

Iúna Gabriela

10a

Iúna Gabriela

11a

Mirna Waquim

12a

Lana Cristina

13a

Vanessa Feitosa

14a

Pedro Modesto

15a

Lana Cristina

16a

Iúna Gabriela

17a

Márcia Costa

18a

Lorenna Noleto

19a

Vanessa Feitosa

20a

Filipe Saraiva

21a

Márcia Costa

22a

Hélio Sousa

23a

Lara Medeiros

24a

Ana Maria

25a

Ana Maria

26a

Carlienne

27a

Ana Maria

28a

Lana Cristina

29a

Carlienne

30a

Breno Cavalcante

31a

Ana Maria

32a

João Rolim

33a

Ana Maria

34a

João Rolim

35a

Breno Cavalcante

36a

João Rolim

37a

João Rolim

38a

Tâmara Rafaelle

39a

Tassi

40a

Suzianne

41a

Tâmara Rafaelle

42a

Rosseane

43a

Tassi

44a

Suzianne

45a

Rosseane

46a

Lorenna Noleto

47a

Matheus Edgard

48a

João Rolim

49a

Rosseane

50a

João Rolim

51a

Pedro Modesto

52a

Pedro Modesto

53a

Tâmara Rafaelle

54a

Tassi

55a

Rosseane

56a

Mallu

57a

Tâmara Rafaelle

58a

Tassi

59a

Tâmara Rafaelle

60a

Rosseane

61a

Suzianne

62a

João Rolim

63a

Isabela Lopes

64a

Suzianne

65a

Luam matheus

66a

João Rolim

67a

Queer

68a

João Rolim

69a

Luam matheus

70a

João Moreira

71a

Ismael Alves

72a

Luam matheus

73a

Ismael Alves

74a

Queer

75a

Ismael Alves

76a

Ismael Alves

77a

Luam Matheus

78a

Ismael Alves

Comentários:


NOME

01b

Lorenna Nolêto

02b

Vanessa Feitosa

03b

João Rolim

04b

Suzianne

05b

João Rolim

06b

Cícero Portela

07b

JBM

08b

Suzy Tiberly

09b

Suzy Tiberly

Propostas de logo


NOME

1c

Jader Damasceno

2c

Jader Damasceno

3c

Marcos Foyce

O SORTEIO DE POSTAGENS E COMENTÁRIOS ACONTECERA LOGO MAIS ÀS 17 HORAS.

CADA SORTEIO TERÁ APENAS 01 GANHADOR.


O ESCOLHA DA LOGO SERÁ VIA VOTAÇÃO






A Borbolera e o Verso




Descobri que s pessoas que
amamo são que nem versos
e que os versos são que nem borboletas
- num bater de asas
Por isso, não posso aprisionar ninguém
Ou me aprisionar

Descobri que as pessoas vêm e vão
E assim é que deve ser
Todos devem ser livres
Com o direito de ir ou vir se quiserem
... e se voltar que voltem por amor

Descobri que não se pode
aprisionar uma alma pra sempre
E que as pessoas que amo
também podem ama outras pessoas. Devem amar
E que amar ou ser amado por alguém
não me dá o direito de ser dono dela

Descobri que durante toda a minha vida
terei que fazer escolhas
E que, quer eu queira ou não,
terei que conviver com elas.
... Mas nenhuma dor será definitiva
- a não ser que eu deixe

Descobri que uma única palavra
pode machucar - principalmente quem amo
E machucar não significa ser forte
Ser forte não significa estar seguro
E estar seguro não significa ter paz
Os meios nunca justificam os fins
O ciúme não justifica um amor.

Descobri que não posso fingir
que não existe dor no poema
E que há fome lá fora
É questão de tempo até que
a violência bata na porta. E eu terei que abrir

E posso até beijar mil mulheres. Cruzar mil pernas.
Mas descobri que só preciso de uma.

E o mais importante ...
Descobri que alguns dias
serão mais longos do que os outros
Mas cada noite trará uma manhã
- embalada em seus braços
E cada tarde trará um pôr-do-sol - pra mim
Sei que o meu filho precisará de um pai
Sei que o meu pai precisará de um filho
E eu estarei aqui.


(Ismael Alves)

Eu só queria meu Pijama




Me diga o que se passa neste coração
Me diga o que há nesta vida
Tão louca, desmedida
De passos embriagados, distraída
Desvairada, sem freio sem nada
Me diga o que é nesta louca sensãção
Nem frigidez, nem tesão
Que digo sim e ao mesmo tempo digo não
Que me mostra o mundo e a solidão
Me diga o que é este infame sentimento
Que me suga, me consome e que dele me alimento
Que não some um só momento
Que minh'alma devora e não há lamento
Me diga qualquer coisa insana
Que me faça acreditar que esta vida profana
É um sonho meu ao travesseiro da cama
Ou não diga nada, e me jogue à lama


(Luam matheus)

Sopro e vento. Um barco rumo ...





Que o teu cheiro invada a minha cas. E que você,

ao entrar em minha vida, usurpe de mim todo o amor guardado em meu peito.

Pois meu amor, assim, deprevenido, cairá nu entre os teus braços

E os meus beijos esaraõ entyregues aos teus.

Mas quando roubardes do meu primeiro beijo, meu bem, por favor,

Não te apresses ... E nem te desesperes: tenha toda a paciência do mundo

Pois meu amor ainda precisa se sentir seguro pra se entregar pros teus ensejos

Mas dos meus lábios, enfermos por teus beijos, ó, esses leve-os; beba-os

E quando um dia vieres a libido seminua,

Não digas nada e até me impeça de dizê-los

Desabotoa os botões da tua blusa pra que eu possa ver teus seios

Desabotoa teu peito pra que eu possa ter teu coração.



(Ismael Alves)

A Carta. A Garrafa. O Náufrago ... E o Mar




"E se podia ouvir o som do mar.
Mas eu queria ouvir a tua voz.
E se podia riscar a areia.
Mas eu queria riscar a tua pele.
- com as minhas mãos.
Podia-se até beijar várias damas.
Mas eu só queria beijar uma. Você"


(Ismael Alves)

A felicidade do mundo




"Escreva um verso. Leia um verso. recite um verso. Grite - o importante é recitar.
Releia todos os livros que você leu até hoje. Sem exceção - o importante é reciclar
Ganhe uma música que você gosta muito. E se possível, cante o mais alto que você
puder. - mesmo que você seja muito desafinada. - o importante é você cantar.

Veja o pôr-do-sol. E admire-o até o último vestígio de luz. - o importante é você ser livre.
- Por isso, pelo menos por jora, jogue os planos pro ar.
Compre pippoca, ligue pra todos os amigos, e pegue todos os filmes que você encontrar
na locadora. Todos. Mesmo que você não assista nem metade deles. - o importante é você se divertir.

Toque a campaina da casa de alguém e corra. Ou ligue pros primeiros 8 números que você digitar e passe um trote. - o importante é você esquecer que as regras existem.
Abra a porta do guara-roupa e vista a primeira etapa de roupa que você encontrar. E se se sentir ridícula, apenas ria. Afinal, isso não acontece sempre, não é mesmo?

Descabele-se. Jogue tudo o que você não gostar pro lado. Corra até o espelho e grite: "EU NÃO DEVO NADA A NINGUÉM HOJE NEM A MIM MESMA!". - o importante é você de descontrolar.

No capítulo da novela de hoje, torça pro violão. - o importante é você lembrar que todos são iguais. - e merecem as mesmas oportunidades.
Compre uma revista de palavras cruzadas, e as responda o mais rápido possível. - p importante é você lembrar que é capaz, e que você é quem controla as coisas. - até a sua vida.

Ligue pra aquele cara, e fala tudo o que você têm pra falar. - o importante é você lembrar que você têm sentimentos. - e eles te guiam, quer você queira ou não. E se for ligar pra mim - risos - , ligue até a meia noite. Porque eu tenho que dormir - risos.

E se, depois de tudo isso, você ainda tiver coragem ... Vire a madrugada acordada. Espere até o dia amanhecer. E quando você ver os primeiros raios de sol, aí sim, durma - o importante é você lembrar ... que não importa o que aconteça ... a sempre algum motivo pra se viver.

... E sorrir"

(Ismael Alves)

Um breve poema de luta







Aos que precisam de oportunidade

Mostro-lhes a luta

Aos que padecem da opressão

Mostro-lhes luta

Aos que, sem comida e água, se mantém à margem da sociedade

Mostro-lhes a luta

Aos que precisam de um motivo pra lutar

Ofereço o contraponto, acontra-hegemonia

Aos que não querem ver

Sussurro ao pé d'ouvido

Aos que não querem ouvir

Ofereço mesu braços e abraços e estendo minha mão

Aos que, ainda assim, resistem

Verão meus atos a seu favor



Mas há sempre os que se opõe:


Porque a luta não tem fim, nem tem começo

Nem é estática, parada feito gesso

Porque o verdadeiro sentimento se chama mudança

E nas entrelinhas, está intríseco: esperança


Porque a luta persiste no coração daquele que sonha. E sonha o homem que vive.

E vive o homem que ama. E vive. E ama. E com amor, faz do sonho concretude. Realidade.





(Luam Matheus)





Bandeira







Que o amor me seja a bandeira de uma revolução branda. E que caiba a mim - e

somente a mim - amá-la perdidamente. E assim, quando mais tarde me procure ... que eu

seja um sorriso gentil, e lhe roube o sorriso mais sincero



Que a paz que eu procuro, se reflita no olhar de quem amo. Nos versos que eu leio. No irmão que abraço. E que seja feliz, aquele que canta! Que grita! Mesmo que seja o mais desafinado



Que caiba ao coração, o que não cabe. O pulso, a dor, o amor e o medo. Que caiba ao coração, nossos segredos. Que caiba ao coração, a esperança.



Que os sonhos, não acabem como uma boa noite de sono. Mas que nos inspirem a fazer o impossível. E se possível, voar, como o fez Santos Dumont.



Que os partidos, partindo, partam pra Marte. E que se percam a navegar em concordatas. Adinal, o único partido que deveria existir é o amor. Em todos os tempos gramaticais. Semanticamente corretos ou não. Pois só o amor, sabe o que é verdade. Ainda que eu falasse uma lingua ou não.



Que os namorados ... Bom, aos namorados ... desejo o mais puro desejo! Os sonetos! As trovinhas! Os braços e seus laços! As canções de amor!


E as mãos, a sutil diferença pra não se acorrentar uma alma - como disse Shakespeare.



À pele. Ao credo. A fé afã, eu só exijo respeito.


Ser diferente, não é ser pior nem ser melhor do que ninguém. É apena ser livre!


... e ser livre é bom!



E ao amor ...


Bom ... ao amor, a força que procuro. A sensibilidade que preciso. A paz que tanto quero. A calma que tanto quero. Afinal, nada melhor do que navegar em águas mansas



E os sentimentos, sejam crus e óbvios. E eu te ame para todo o sempre



E por fim,


me seja sábio esperar o tempo que for preciso,


mesmo que pareça em vão


Pois o coração ... Esse um só ... É um presente teu!





(Ismael Alves)





Aquele tempo que se perdeu







Aquele tempo que se perdeu

Se foi sem querer me achar

Aquele nosso velho amor

Bendito o mal que ti levou




Aquele preço que se pagou

Que era melhor ter sido roubado

Aquele doce novo amor

Bendita seja a tua presença




Eu não volto a tempo

De ti ver chorar

Mas eu só me lembro

De ti ver chorar




Aquele seu beijo, propagou-se

Por dentro do meu coração

Aquela frase eu te amo!

Bem dita por ser verdade





(João Moreira)

domingo, 24 de abril de 2011

Como uma prensa
















Mesmo longe
Não tendo teu corpo no meu
Mesmo frio
Não aquecendo, nem tu nem eu.

Eu espero, sem pressa.
Pois sei, e como sei.

Que quando perto
A mola prensada explodi feito vulcão
O amor guardado
Se mostra a cala limpa ao arder da paixão.

E por isso eu espero
Sem pressa.

(Luan Matheus)














Nenhum poeta ordinário
Será capaz de sonhar
Sonhos que um dia sonhei
Ou matará um dia
Aquela cria do sonhar:
......O amor que um dia eu matei

Nenhum, nenhum, poeta
Pois mais que sejam repletas
Suas dádivas declamantes
Não será pra mim completa
A descrição: ser amantes!!

Fosse o frenesi
Fosse o que fosse...

A minha mansidão é igual da caatinga
Igual a fulô de dia
Numa noite dum sem fim.

João Rolim

Dança cósmica II



















Toques e retoques...Beijos e Abraços descontidos em rumos às batidas de nossas 'anatomias corporais'.
Verdades e vertentes! Eu não as quero!
Quero o sabor descontido:dos beijos, de ouvir corações batendo, do cheiro da pele de alguém,
de 1001 coadjuvantes, de olhares, do fugaz e desritmico respirar, e dos pés frios e suados.
Quero o orvalho da madrugada resfriando o vidro da janela,quero a dança, a dança dos sentidos,
das cartografias dos meus desejos,e dos meus sonhos( que poderiam ser ao menos reais).
No entanto, o meu desfecho seria dançar nos desritmos desta musica, destas doces e suaves batidas,porém, me vejo num calabouço cheio de culpas e medos indecentes que insistem em me deixar no ritmo de uma dança unilateral, dança esta,  que me impede de uma DANÇA DE SENTIDOS!. Entretanto vivo, e vivo, porque além de estar aprendendo a dançar, também estou aprendendo a voar.

(Queer)














Todo cabra valente do sertão
Tem fraqueza guardada e escondida
Uma sina que fere sem medida
O seu peito e o bravo coração
Ou é moça, e chora ao ter paixão
De um belo sorriso de menina
Ou saudade, se for pra ser da sina
De estar longe do povo que o pariu
Estes são pontos fracos que o feriu
Trancafiando sua dor bem na surdina

(João Rolim)

Morena Theresina
















Pois morena
Quando espalhas teu corpo
Lindo, doce, frondoso
Pelo chão de Theresina
O sol refletido em tua cintura fina
Mais parece um espelho, mágico, grandioso.
E lá mesmo vejo escrita minha sina.
E quando te vejo sentada
Com teus pés afundando n’água
Sob balançar do Parnaíba ou do Poti
Olho de cima da mais alta arvore.
Pra ver teu rosto na água refletir
Não me importa o quanto posso demorar
A espera vale só em ver teu sorrir.
Oh morena mais bonita que o sol
Quisera eu ter coragem de falar
Quando lê estes versos e se quiser me encontrar
Juro. Não terei vergonha de me mostrar.
Vou ver todos os dias o encontro do Parnaíba e do Poti
Sonhando que um dia esteja também lá.
Não pra vê-los, mas para me encontrar.

(Luan Matheus)

segunda-feira, 18 de abril de 2011




A cada união silábica
sinta dor e prazer
Quero sugar cada gota tua
e te inundar num caos
de solidão à deriva
do inferno de ser,
mas também
quero te entorpecer
de alegrias partidas
e delíricos prazeres,
inquietá-lo dessa posição inerte
de quem apenas lê
Sinta,
Cheire,
Saboreie,
mas sinta ao seu bel prazer
que o que escrevo
são apenas momentos meus e teus
transcritos em intensa batida
Permita-se sentir,
Prove os dias,
Que'u tempero tuas linhas

(Suzianne Santos)