segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Tarde demais



Quando percebi que, o seu sorriso comprometedor,
afastava-se dos meus olhos enamorados,
nadei até a superfície da realidade,
mas era tarde demais.

Quando reparei que, o cheiro de amêndoas da sua pele,
não fundia-se mais ao meu cerne,
sucumbi aos deuses do Olimpo,
mas era tarde demais.

Quando encontrei, vazia, a nossa casa,
descobri, em mim, a sua tristeza
e pedi perdão por ser assim,
mas era tarde demais.

Quando compreendi que, ao meu lado,
você não desejava permanecer
e que, sobre mim, não queria saber,
escrevi estes versos tristes,
apesar de ser tarde demais.

(Laís Grass Possebon)

Um comentário:

  1. Acho que estou virando/sou fã da sua escrita. Mais um belo poema, parabéns

    ResponderExcluir