terça-feira, 24 de setembro de 2013

Identidade Mameluco


Nessas veredas sanguíneas
Corre o filho da mestiçagem,
Carregando semblante daqueles que um dia
Foram senhores de sua identidade.

Um mameluco nativo,
Um curumim com suas belezas estampadas
Hoje cobertas por farrapos,
Os que restaram da cambada.

Corria com o pé na terra,
Ainda não temia nenhum dano,
Hoje estagnasse na miséria
Pra seguir labutando.

Raone Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário